Indice - Compilado por Beraldo Lopes Figueiredo

Página Principal

09 - ENFERMIDADES E DESEQUILÍBRIOS

ÍNDICE:

09.1 - Enfermidades

09.2 - Os Impulsos

09.2.1 - Obsessão

09.3 - Moléstias Mentais

09.3.1 – Cérebro Defeituoso

09.3.2 – Personalidades Psicopáticas

09.3.3 – Fixação Mental

09.3.4 – Angústia

09.3.5 – Deslizes morais

09.3.6 – Emersão de Lembranças do Passado

09.3.7 – Alucinações

09.3.8 – Obsessões

09.3.9 - Neurose e Psicose

09.4 - Obsessão Espiritual

09.4.1 - O que é Obsessão Espiritual?

09.4.2 - Características

09.4.3 - Situações Obsessivas

09.4.4 - Obsessão Múltipla

09.4.5 - Efeitos de Obsessão

09.4.6 - Agressões ao corpo físico

09.4.7 – Essencial sobre os tipos de Obsessão

09.4.8 - Larvas Astrais

09.5 - Formas Pensamento, Larvas e Ovóides

09.5.1 - Formas Pensamento

09.5.2 - Larvas e Vibriões

09.5.3 - Ovóides

Parte do texto é Baseado no Livro:

Evolução para o Terceiro Milênio

Autor:

Carlos Toledo Rizzini

 

 

09.1 - ENFERMIDADES:

Toda moléstia é de origem espiritual, razão porque há doentes e não doenças propriamente ditas. A medicina terrena começa a penetrar no campo das doenças psicossomáticas, ou seja as doenças do corpo começa no desajuste da mente (tensão, conflito), tal como a úlcera péptica do estômago e duodeno, a pressão arterial alta.

A humanidade é constituída maciçamente de mentes enfermas. Um homem sadio é avis rara, difícil de encontrar..
Por enquanto a terra é um planeta de provas e expiações.

Sabe-se hoje de acordo com as experiências do Prof. Hans Selye, que os estados de tensão muito prolongados originam lesões graves nos órgãos. Informa o Professor Seyle que as piores tensões são: Ansiedade, frustração e ódio são capazes de produzir úlcera gastroduodenais, arteriosclerose e hipertensão arterial, por exemplo.

A maneira de viver de um indivíduo e tudo que cultiva durante as suas existência são transformados energeticamente e afloram nos seus corpos físicos. Sentimentos de ódio, raiva, inveja, hostilidade está na raiz de numerosas doenças.

Esses nódulos negativos de energias, passam por vivências e são purificados aflorando como doenças, como uma semente que germina, que precisa ser expelida através da dor e do sofrimento, não como forma vingativa mas como forma purificadora.

Um corpo espiritual doente se faz doente nos nascimentos em seus diversos corpos carnais, porque a alma doente é quem produz as doenças.

Temos casos registrados, na literatura espírita, oriental, espiritualista de que se um individuo ingeriu veneno, nascerá com problemas na garganta, no estômago; se deu um tiro no coração, nascerá com uma cardiopatia congênita; se usou sua inteligência para prejudicar os outros, virá a ter debilidade em áreas do cérebros, não que sejam doenças expiatórias como prega o espiritismo, mas energias que se fundem no corpo causal e precisam ser expelidas, ao formar um novo corpo, essas energias são passadas para o outro corpo como herança, tanto as virtudes como as desvirtudes.

No caso de dois dementes, um poderá ter o espírito perturbado, enquanto o outro poderá ter o espírito lúcido, mas o cérebro desarranjado por nódulos energéticos localizados, que provocam anomalias celulares nos neurônios, circulação deficiente ou outro defeito dentro da caixa craniana.


 

 

Inúmeras lesões e afecções se revelam derivadas de episódios de vidas passadas, porque para o corpo causal o vida é uma só dividida em capítulos, cada capítulo é uma reencarnação.
A terapia de regressão a vidas passadas tem decifrado as causas de doenças misteriosas.

 

09.2 - OS IMPULSOS:

Existem os impulsos compulsivos, estes dão origem a um série de ações inconscientes. Esse impulso funciona como uma energia que age de forma repetitiva como um balão que vai inflando até estourar e recomeçar todo o processo novamente. As vezes uma imagem, uma palavra é a chave para dar origem ao processo. Esses impulsos funcionam dão origem a hábitos que se tornam vícios: como bebidas alcoólicas, fumo, masturbação, ,jogatina e tantos outros. Porém tem casos graves, como o serial Killer.

A excitação central desencadeia uma atividade motora, cuja finalidade é diminuir ou eliminar o estado tensional. À sensação de alívio decorrente dessa atividade chama-se cessação ou gratificação do impulso. A atividade gratificadora é orientada pelo consciente nas pessoas que se controlam (vontade ativa).

De qualquer forma todos possuem impulsos, os naturais como: sede, fome, solidariedade, afeição, desejo de domínio.

Um impulso satisfeito não pode ser reativado imediatamente, comemos porque sentimos fome, após saciar a fome, cessa o impulso de comer. Mas um impulso pode tornar-se exagerado neste caso gera anomalias como obesidade

Existem impulsos a flor da pele, grosseiros, os instintos sexuais desenfreados que exigem satisfação imediata, desde a mais leve masturbação até casos de pedofilia, incesto, sexo bizarro com animais e objetos em forma dos órgãos sexuais.

Chama-se recordações recalcadas em forma de energias que se depositam em nódulos energéticos com alta pressão que quando procuram se libertar agem como um furacão destruindo qualquer defesa moral ou ética do indivíduo


09.2.1- OBSESSÃO:

Nestes casos funciona como fator ampliador, por sintonia esse padrão vibratório energético acaba entrando em sintonia com outros espíritos, que acabam usufruindo das energias geradas por esses indivíduos que vive no plano físico e gera energias nos quais esses espíritos não tem acesso, por isso existe também o estímulo gerador, com formas pensamentos, imagens implantadas. Neste casos os desejos são idênticos, e funciona como uma amplificador.


09.3 – MOLÉSTIAS MENTAIS:

Na cabeça existem 7 chakras de extrema importância, sendo dois magnos (frontal e coronário) e cinco grandes em volta do coronário, de nome CONJUNTO SONOMEDULAR, raro será o ser que não tenha um desequilíbrio mental.
A própria psiquiatria moderna concorda que não existe fronteira entre o estado normal e anormal, como diz o ditado popular: “Existem loucos para tudo”.

O critério mais aceito para a sanidade mental é o comportamento, daí considera-se normal o sujeito que possui a capacidade de ajustamento a todas as circunstâncias da vida.

09.3.1 – Cérebro Defeituoso:

Existem dois casos específicos, anomalias de nascença, quando o cérebro nasce com defeito desviando padrões energéticos do pensamento causando desvios de conduta.

Em muitos casos a ação do pensamento que é ideoplástico sobre a matéria sutil do paracérebro acaba criando um molde que com o tempo acaba desfigurando o cérebro físico e este molda-se ao que é alimentado por maus pensamentos, que na realidade são ondas energéticas de grande poder transformador.

09.3.2 – Personalidades Psicopáticas:

Casos de pessoas que apresentam um distúrbio num certo setor, que mostram comportamentos anormais, tais como: amoralidade, mentira, inescrupulosidade, agressividade, perversão sexual, ciúmes, orgulho, inveja, luxúria, ganância, gula, preguiça. Nota-se que são pessoas agradáveis, tipos inteligentes, vivos, porém possuem esses defeitos que podem aflorar numa leve contrariedade. O mal reside apenas na falha do caráter, com os quais já nascem; desde criança os sinais vem surgindo, aparecendo, qual criança não nasce com a birra , o ciúme, a mal criação, pequenas mentiras, isso não se ensina a uma criança


09.3.3 – Fixação Mental:


Os pensamentos fixos, são causados pelo processo mórbido repetitivo, conhecido nos meios ocultos como processo de auto-obsessão, pela psiquiatria como: idéia fixa. Esse processo é como o OVO E A GALINHA – Quem nasceu primeiro? – No caso atrás de uma fixação mental existe um espírito desencarnado. Ordens internas para matar alguém, para matar-se, são comuns nas entrevistas em prisões, quando se pensa ser uma desculpa, descobre-se que este relato existe em qualquer penitenciária de qualquer lugar do mundo.

09.3.4 – Angústia:

A ansiedade quando superdimensionada cria a angústia, que se torna penosa, uma emoção que trás consigo o pavor, o medo, aflição, sente-se ameaçada por um inimigo terrível no qual não vê, sofre por não poder defender-se do inimigo inexistente. Em suma arrasa-se, fica sem reação. Cria-se neste campo as diversas fobias.


09.3.5 – Deslizes morais:

Casos de erros cometidos contra o próximo, pode gerar o remorso, autoculpa, evoluindo esse mal leva o ser a julgar-se o último dos seres entrando num processo de recalque, que pode gerar um ódio incontrolável, a tudo e a todos. Tendo a culpa como defesa.


09.3.6 – Emersão de Lembranças do Passado:

Estes casos não são tão raros como parecem, mas geralmente surgem em pessoas idosas, quando a matéria frouxa laços energéticos e fluem por essas brechas lembranças de vidas passadas que se interligam com a vivência atual, criando um desarranjo mental, muitos diagnósticos chamam de arteriosclerose. Caso típico, aconteceu na Inglaterra: Um velho saudável e querido, no fim da vida foi morar com seu filho, de uma hora para outra passou a temer o filho dizendo que este queria envenenar sua comida para ficar com sua fortuna (que no caso não existia), chegou ao caso de ter que ser internado, por recusar-se a comer.

Essas fraquezas, são oriundas de espíritos lutadores, que cansados, na velhice do cérebro físico deixam aflorar lembranças do inconsciente, vivem na ficção mental e voltam a ser: marqueses, barões, generais, magnatas, ministros, banqueiros, ricos. A mente volta ao pretérito, assim um velho general: Volta a dar ordens, enfurece-se se não for obedecido, e a vida passa da vigília para a loucura.

Obs: Numa vida em que um ser possui um cargo importante, a fixação de ser poderoso, fica arraigado dentro do seu ser, que mesmo que viva 10 vidas como pobre vai aflorar sempre num futuro uma vida em que o poder e o sucesso se fez presente.

09.3.7 – Alucinações:

É a percepção sem o objeto; o sujeito vê e ouve o que para ninguém existe. Pode-se dizer que as experiências internas se exteriorizam em forma de imagens perceptíveis. Embora não tenha consistência, constituem para o sujeito parte do real da vida mental do paciente. Segundo os psicanalistas as alucinações indicariam necessidades psicológicas como desejos, censuras, sentimentos de culpa, autopunição, satisfação de impulsos e anseio por uma realidade mais adequada ao paciente.
As alucinações podem ser provocadas por drogas , certas plantas alucinógenas. Mas as alucinações produzidas por problemas psicóticos, as auditivas (ouvir vozes) que criticam o sujeito, o acusam de ser homossexual, ter cometido tal crime. Fato vulgaríssimo nos manicômios , essas são chamadas de esquizofrenia e a chamada parafrenia. O delirium tremens mal que acossa os alcoólatras inveterados é um alucinose em que as alucinações são aterrorizantes.
Uma pessoa afetada pela esquizofrenia (diagnóstico psiquiátrico) fala de si mesmo na terceira pessoa do singular (ele), ataca a si mesmo, com palavrões, socos na própria cabeça.
Mas para a literatura espírita que aceita a doença psicótica mas alia ela a obsessão de desencarnados no processo.

09.3.7.1 - Esquizofrenia:

A distonia esquizofrênica é dos mais complexos quadros da patologia mental, revelando-se nas quatro fases cíclicas e graves do:

  • Autismo, 

  • Hebefrenia, 

  • Catatonia 

  • e Paranóia. 

Primeiro podemos definir a esquizofrenia primeiro, como um transtorno espiritual, que se manifesta no corpo físico, através de uma série de desequilíbrios:

  • alucinações;

  • delírios;

  • manias persecutórias;

  • alteração da sensação;

  • apatia;

  • desinteresse;

  • falta de motivação para qualquer realização;

  • indiferença inclusive em relação à higiene;

  • embotamento afetivo.

Todos decorrentes da necessidade de o espírito resgatar os delitos praticados em existências anteriores.
Nesse caso podemos chamá-la de um distúrbio orgânico, já que foram impressas no aparelho fisiológico todas as necessidades para a liberação;

 

Segundo, como um processo de natureza obsessiva, em que o agente perturbador, hospedando-se no perispírito do seu inimigo, aquele que antes o infelicitou, atormenta-o, apresenta-se-lhe vingador, desorganiza-o interiormente, desestabiliza as conexões neuroniais, produz-lhe outras disfunções orgânicas, delírios, alucinações;

Terceiro, como um processo misto, no qual o enfermo fisiológico é também vítima de cruel perseguição, tornando-se obsidiado simultaneamente.

 

O êxito no tratamento clássico ainda é inexpressivo porque a terapêutica não é conduzida às fontes geratrizes da loucura: o espírito reencarnado e os desencarnados que o martirizam, no caso das obsessões.

MANOEL P. DE MIRANDA

09.3.8 – Obsessões:

Por sintonia um espírito desencarnado se aproxima de um enfermo encarnado, por magnetismo, por vibração. Por vingança, por perseguição, acabam se comunicando e produzindo os desvarios: alucinação + obsessão.
No espiritismo moderno já supõe-se ao tratar a enfermidade a luz da Psiquiatria:

1º) Doença Mental Pura e Simples: No caso sem obsessão (Esquizofrenia).

2º) Doença Mental mista associada a Obsessão: (Esquizofrenia com Obsessão).

3º)Doença Mental por Obsessão: Chamada de loucura obsessiva (Obsessão).

09.3.9 – Neurose e Psicose:

Todos os estados da mente doentia acaba sendo distribuídos por duas condições gerais de desordem mental: NEUROSE e PSICOSE distintas primariamente por intensidade de desarranjo. A Neurose pertence a PSICANÁLISE e a Psicose pertence a PSIQUIATRIA.

Neurose é um distúrbio emocional da personalidade que conduz o sujeito a um estilo de vida desajustado. Ele sempre está em conflito consigo mesmo ou com o ambiente. No primeiro caso porque idéias conflitantes se debatem no seu interior , no segundo porque ele luta contra as contradições conflitantes externas , o que constitui uma ameaça à sua vida. Neurose = Perturbação. Cujo sintoma principal é não conseguir manter uma estabilidade emocional mental. Levando-o a tristeza, desânimo, agressividade, descontrole.
 

Perturbação aplica-se principalmente aos espíritos desencarnados com neurose.

Muito são os comportamentos dos Neuróticos:
1º) Aproximam-se dos outros por necessidade de afeto não suportam a solidão, muita carência afetiva;

2º) Opõem-se aos outros, por que são agressivos, ambiciosos, querem dominar ou possuir tudo;

3º) Afastam-se dos outros por não suportarem o contato humano e sentem-se melhor no isolamento.

Um homem normal tem certas doses desses sintomas, mas em dose equilibrada, tem o controle, é amistoso, compreensivo, solidário e cooperativo.

Um dos aspectos fundamentais da NEUROSE, é que ela se dá nas relações humanas e no trabalho.
Um dos primeiros estado Neurótico que se percebe num doente, é a crise neurótica ( crise de angústia, desequilíbrio emocional).

É costume dar o nome de Esgotamento Nervoso, colapso nervoso. Um homem aparentemente normal, sofre uma pressão no seu trabalho, e pode entrar num processo de depressão, gerando uma série de sintomas tais como: - palpitações, angústia, mal humor, insônia. Pode ocorrer de um dia resolver se suicidar. É mais comum do que parece, mães que se estressam, choram sem aparente motivo, se isolam e trabalham arduamente até o cansaço total, Profissionais que perdem o emprego e não conseguem achar outro, podem entrar num processo neurótico.

Os elementos característicos de uma NEUROSE estão nitidamente presentes: a)Ansiedade; b) hostilidade; c) busca excessiva de companhia; d)improdutividade; e) exaltação pessoal .

Observação: Essas pessoas são geralmente agradáveis e bons chefes de famílias.

Existe uma classificação das Neuroses:

1 – Neurose de Angustia: Caracteriza-se por uma ansiedade constante, manifestada num estado mental mui penoso, deixando uma pessoa improdutiva e incapaz.

2 – Neurose fóbica: Nesta, a ansiedade localiza-se em algum objeto ou situação. O indivíduo passa a temer da maneira mais terrível e ilógica. Aerobofia, claustrofobia, medo de diversos gêneros dando origens a tantas fobias.

3 – Neurose Histérica: Caracteriza-se como um ataque, uma transformação momentânea atacando organicamente uma pessoa, tais como: paralisia, cegueira, surdez, sem lesões físicas dos respectivos órgãos, podendo ser passageira e em alguns casos de longa duração.

4 – Neurose Obsessiva: As idéias fixas, atos como rituais que precisam ser feitos. Lavar as mãos constantemente, arrumar a cama várias vezes, tomar vários banhos durante o dia, porém é uma obsessão psiquiátrica e não espírita. (TOC)

5 – Neurose Neurastenia: É uma estado de cansaço crônico com irritabilidade, dores várias pelo corpo e outros distúrbios psicossomáticos. Qualquer esforço parece demasiado, desânimo.

6 – Hipocondria: Preocupação mórbida com os órgãos físicos, com as funções do corpo, que o sujeito afirma não funcionarem direito. Menor irregularidade assumem proporções gigantescas.

7 – Depressão Reativa: Estado de profundo abatimento, pessimismo, tristeza, desinteresse por tudo, falta de apetite, sentimentos de culpa, etc.


PSICOSE:

Já as psicoses são bem mais numerosas; todavia conhecidas em geral e muitas difundidas são: esquizofrenia (mais da metade dos casos), psicose maníaco-depressiva e paranóia, ainda algo notória é a psicose arterioesclerótica (diz muito: O sujeito está esclerosado (CADUCO), isto é, mentalmente desarranjado, pensando e falando inadequadamente em virtude da idade avançada).


09.4 – OBSESSÃO ESPIRITUAL:


Influência maléfica, mais ou menos persistentes que espíritos tão ou mais atrasados que o sujeito em questão. Podem influenciar a vida mental e por conseqüência sua conduta. Porém esses espíritos nem sempre tem consciência do mal que fazem, pois sua forte PERTURBAÇÃO os deixa embotados. Decorre da Lei de sintonia vibratória, em virtude da qual temos a mente em contato com outras mentes do mesmo padrão vibratório. Ao vermos um grupo de jovens desocupados numa esquina, estaremos diante de um quadro exato do exemplo que queremos esclarecer, esse grupo pensa da mesma forma, possuem idéias parecidas e suas auras energéticas produzem as mesmas cores. Isso é a LEIA DE SINTONIA VIBRATÓRIA.

Um renomado Psiquiatra e espírita, cujo nome é Inácio Ferreira, declara que a obsessão está presente em cerca de 70% das tragédias humanas. No sanatório de Uberaba que dirigia, atendeu 1915 enfermos mentais, conseguiu 763 curas, desse número 600 eram casos de obsessão espiritual.

Comumente uma lesão – Pancada, corte, úlcera varicosa apresenta-se infectada. A doença não é infecção; esta é secundária, pois a lesão abriu a via para a entrada das bactérias piógenas que apenas se instalam num terreno que lhes é propício. Há enfermidades do próprio sujeito que secundariamente atraem espíritos desocupados, levianos, neste caso pode estar havendo a obsessão secundária.

09.4.1 – O que é afinal a Obsessão Espiritual?

A obsessão é uma espécie de enfermidade de ordem psíquica e emocional, que consiste num constrangimento das atividades de um Espírito pela ação de um outro. A influência maléfica de um Espírito obsessor pode afetar a vida mental de uma pessoa, alterando suas emoções e raciocínios, chegando até mesmo a atingir seu corpo físico. A influência espiritual só é qualificada como obsessão quando se observa uma perturbação constante. Se a influência verificada é apenas esporádica, ela não se caracterizará como uma obsessão.
Somente os Espíritos maus e imperfeitos provocam obsessões, interferindo na vontade do indivíduo, fazendo com que ele tenha ações contrárias ao seu desejo natural.


A obsessão só se instala na mente do paciente quando o obsessor encontra fraquezas morais que possam ser exploradas. São pontos fracos que, naturalmente, todos nós temos, pela imperfeição que nos caracteriza. Deste modo, conclui-se que todos estamos sujeitos à obsessão.


As doenças do corpo carnal só se manifestam quando existem fragilidades estruturais ou carências no organismo físico. Na área psíquica acontece coisa semelhante. Os indivíduos enfraquecidos moralmente, com falhas de caráter, vícios etc, estarão mais sujeitos à obsessão.

 

O Espírito obsessor, conhecendo as fraquezas morais do enfermo, vai aos poucos obtendo acesso à sua área mental, chegando em alguns casos a dominá-lo. Se a obsessão se intensificar, e não for tratada espiritualmente em tempo hábil, ocorrerá um aumento de afinidade fluídica entre obsessor e obsedado, o que poderá acarretar no agravamento da enfermidade.

As obsessões no período de infância são raras. Geralmente, as influências iniciam-se entre os sete e dez anos de idade, quando a personalidade da criança começa a desabrochar. Depois desse período já é possível que ocorram influências obsessivas mais preocupantes.


a) As causas morais:

As obsessões de causas morais são aquelas provocadas pela má conduta do indivíduo na vida cotidiana. Ao andarmos de mal com a vida e com as pessoas, estaremos sintonizando nossos pensamentos com os Espíritos inferiores e atraindo-os para perto de nós. Desse intercâmbio de influências poderá nascer uma obsessão.

b) As causas relativas ao passado:

As obsessões relativas ao passado são aquelas provenientes do processo de evolução a que todos os Espíritos estão sujeitos. Nas suas experiências reencarnatórias, por ignorância ou livre arbítrio, uma entidade pode cometer faltas graves em prejuízo do próximo. Se a desavença entre eles gerar ódio, o desentendimento poderá perdurar por encarnações a fio, despontando nos desafetos, brigas, desejos de vingança e perseguição. Casos assim podem dar origem a processos obsessivos tenazes.
Desencarnados, malfeitor e vítima continuam a alimentar os sentimentos de rancor de um para com o outro. Se um encarna, o outro pode persegui-lo, atormentando-o e vice-versa.

c) As contaminações:

As contaminações obsessivas geralmente acontecem quando uma pessoa freqüenta ou simplesmente passa por ambientes onde predomina a influência de Espíritos inferiores.

d) Causa anímica ou auto-obsessão:

As obsessões anímicas são causadas por uma influência mórbida residente na mente do próprio paciente. Por causa de vícios de comportamento, ele cultiva de forma doentia pensamentos que causam desequilíbrio em sua área emocional.

Muitas tendências auto-obsessivas são provenientes de experiências infelizes ligadas às vidas passadas do enfermo. Angústia, depressão, mania de perseguição ou carências inexplicadas podem fazer parte de processos auto-obsessivos.
O auto-obsediado costuma fechar-se em seus pensamentos negativos e não encontra forças para sair dessa situação constrangedora. Esse posicionamento mental atrai Espíritos doentios que, sintonizados na mesma faixa psíquica, agravam sua doença espiritual.

09.4.2 - CARACTERÍSTICAS DA OBSESSÃO:

A obsessão apresenta características que pode situá-la no grau de gravidade que lhe é própria. Há três graus de gravidade: Obsessão Simples, Fascinação e Subjugação.

a) Obsessão Simples:

É um tipo de influência que, de forma sutil, constrange a pessoa a praticar atos ou ter pensamentos diferentes do que geralmente possui. O obsedado, às vezes, nem percebe o que lhe está ocorrendo. Em outras, têm consciência da influência daninha, mas não consegue se livrar dela. Este tipo de obsessão é muito comum e pode agravar-se, dependendo da natureza do Espírito atrasado envolvido e das disposições morais do paciente.

b) Fascinação:

Allan Kardec disse, em "O Evangelho Segundo o Espiritismo", que a fascinação é o pior tipo de obsessão. Trata-se de uma ilusão provocada por um Espírito hipócrita que domina a mente do paciente, distorcendo seu senso de realidade. O Espírito obsessor planeja muito bem seu intento destrutivo e busca envolver o indivíduo em artimanhas mentais bem preparadas.

As portas de entrada para a fascinação, como sempre, são as falhas morais. É no orgulho de sua vítima que o Espírito hipócrita encontra o alimento para fascinar-lhe a personalidade.

Para conseguir seu domínio, a entidade maldosa exalta a vaidade do obsedado, fazendo-o sentir-se infalível e autoconfiante. A ilusão é tamanha que o fascinado adquire uma grandiosa cegueira, o que não lhe permite perceber o ridículo de certas ações que pratica.

c) Subjugação:

A subjugação pode ser moral ou corpórea. No caso moral, o Espírito obsessor adquire forte domínio sobre o psiquismo do indivíduo, levando-o a tomar decisões contrárias ao seu desejo. Na fascinação há uma ilusão. Na subjugação, o paciente tem consciência do que lhe acontece.

Na subjugação corpórea, além de exercer o domínio psíquico, o obsessor atinge a parte fluídica perispiritual do doente. Domina seu corpo físico e, às vezes, numa crise semelhante à epilepsia, atira-o ao chão. Como o obsedado fica quase sempre sem as energias necessárias para dominar ou repelir o mau Espírito, carece da intervenção de uma terceira pessoa com ascendência moral sobre ele, para auxiliá-lo a sair da difícil situação.

09.4.3 - SITUAÇÕES OBSESSIVAS:

As obsessões, de um modo geral, não apresentam gravidade. São fáceis de serem tratadas pela metodologia espírita. Só em um pequeno número de casos há fatores que facilitam a degeneração do processo, culminando na fascinação ou subjugação. Em quase todos os processos obsessivos existem duas partes envolvidas. Só na auto-obsessão, o indivíduo atormenta-se a si mesmo. Assim, podemos ter os seguintes casos de situação obsessiva:

a) De desencarnado para encarnado.

b) De encarnado para desencarnado.

c) De desencarnado para desencarnado.

d) De encarnado para encarnado.

e) Obsessão recíproca

f) Auto-obsessão.

 

09.4.4 – Obsessão Múltipla:

Em muitíssimas instâncias há mais de um obsessor zurzindo o pobre encarnado, isto é dito freqüentemente nas sessões mediúnicas: “ Eu não estou só”, há outros comigo” – Na bíblia existe uma passagem no Novo Testamento quando Cristo expulsa os obsessores do corpo de um encarnado (as falanges). Os obsessores atuam em conexão seguindo um plano pré-estabelecido por eles no assédio, sempre se manifestando numa espécie de rodízio.

A psicologia chama tal fenômeno de “PERSONALIDADE MÚLTIPLA”, admitindo que o paciente cria essas criaturas lindividualizadas.

O caso de Sybil que será referido neste tópico, com suas 19 personalidades que se manifestou no corpo dessa moça. H.C. Miranda psicanalista que tratou por 11 anos essa moça e a curou. Sybil era uma médium inconsciente, sofreu muito, mas sua missão era ajudar esses espíritos perturbados, no qual sofreu na carne junto com eles as agruras penosas dessa energia pesada, carregada de angústias, raiva, ódio dilacerante.

Já com Bárbara O´Brien (Livro: A vida íntima de uma Esquizofrênica) , perseguida por uma FALANGE, que ela declara ser uma alucinação do inconsciente. Diagnóstico Psiquiátrico: ESQUIZOFRENIA PARANÓIDE.

Um dia sem mais nem menos, deu de cara com um grupo de pessoas instalados no seu quarto de solteira, vendo-os com pessoa de carne e osso. Foi assim que começou sua epopéia.

Pessoas com VONTADE FRACA, fáceis de dominar, sugestionáveis, que obedecem seus operadores sem resistência, já que lida com obsessores profissionais especializados em manipular mentes, com capacidade de PENETRAR E DOMINAR uma mente, podendo ser esse encarnado ou desencarnado. Quando um operador está sintonizado com a mente do obsediado ele lê os pensamentos de sua vítima com maior facilidade. Podem implantar (injetar) pensamentos, governando assim seu comportamento.

Os obsessores, não perdem tempo, eles exploram tudo o que podem, não há nada mais cruel do que um obsessor. Eles são tão cruéis que se saqueiam entre si no plano astral, onde o chefe é o mais poderoso em crueldade. Como feras, sem piedade e compaixão querem o PODER de manipular, mandar, subjugar, possessão e retirar energias de suas vítimas.


09.4.5 – Efeitos da Obsessão:

Instalada a obsessão, é considerada primariamente como uma demência, uma psicopatia. As funções mentais alteram-se pela ação intencional ou inconsciente de outra mente; a razão declina, a vontade enfraquece, os sentimentos deterioram-se, os hábitos mudam. Eis porque as casas psiquiátricas e os manicômios estão cheios de dementes (obsedados) em duras provações, tratados como LOUCOS GENUÍNOS pela tão deficiente ciência materialista.

Casos graves como de doentes que se tornam autômatos, dizendo-se “bananeira”, “relógio”, “Napoleão”, “Dom Pedro II”, “Leão”. Comportando-se como um cão, saindo a noite de pijama latindo, se comportando como um lobo, alimentando ainda mais a lenda do Lobisomem. Tudo por sofrer sugestão mental após prolongada hipnotização por parte de entidades perversas e vingativas.

Provoca ainda a obsessão em seus diversos graus: Instabilidades emocionais como: Choro, riso, raiva, ódio, angústia, ansiedade, apatia, fúria, sem motivo aparente, bem como sentimentos de culpa.


09.4.6 – Agressões ao Corpo Físico:


Pode ser lesado pela longa permanência dos obsessores, repercutindo e transmitindo no perispírito, criando BLOQUEIOS ENERGÉTICOS, em forma de LARVAS ASTRAIS, podem causar danos energéticos que poderá levar a lesões nos órgãos físicos. O VAMPIRISMO que é uma forma de absorver fluídos da vítima, reduzindo lenta e progressivamente as defesas dos órgãos afetados, quando vai se instalando a doença.

 

– Os espíritos desencarnados, também inteferem no sonhos, para o bem ou para o mal. Inúmeros pesadelos, são produzidos pelos discípulos das sombras. Acertos de contas, são repercutidos como cansaço, acordar com medo, suor, coração acelerado.

09.4.7 – Essencial sobre os tipos de Obsessão:


1 - Atração por Sintonia com o Plano Inferior: - Toda a vez que um encarnado se deixa envolver por pensamentos viciosos, estabelece um padrão vibratório e uma relação com seres astrais que pensam da mesma forma. Começa uma relação por Sintonia. Estabelece-se uma maneira do encarnado ser um hospedeiro terreno, plataforma energética de vampiros. Neste caso é difícil do encarnado sair deste ciclo vicioso.

2 – Influência Recíproca de encarnados e desencarnados (obsessão bidirecional): -Troca de pensamentos, sentimentos emoções em duas vias, tanto por parte do encarnado como do desencarnado, sempre levando em consideração a mesma sintonia. Casos de ódios e amores. Ligações cármicas inaparentes. Tratada por alguns clarividentes como obsessão passiva, visto que a entidade não é hostil contra seu hóspede; prejudica-o passando-lhe fluídos deletéricos, pastosos e escuros por osmose.

3 – Sugestão hipnótica durante o Sonho: Nesta variedade, o indivíduo, durante o dia, parece ativo e normal, mas tem a vontade dominada pelas sugestões feita pelo obsessor durante o sono, este implantes feitos na noite, durante vários dias acabam aflorando durante a vigília. Brigas, desavenças com familiares, amigos as vezes acontecem dessa forma.


4 – Dominação Telepática: Fenômenos telepáticos estão envolvidos nas obsessões em geral. Mas neste caso se faz uma referência específica, de um desencarnado sobre um encarnado. Principalmente quando recebe emoções e sentimentos de sofrimento, sem motivo aparente. Muito comum nos médiuns. Mas acontece em todos os lugares, sendo comum nos lares, escritórios.

No ponto culminante o obsediado pode ver imagens emitidas pelo obsessor, como no caso de uma esposa ver seu marido nos braços da amante. Para cortar tal ligação energética, teria que o obsediado aumentar seu padrão vibratório, elevar a mente.

5 – Influência Sutil: Maneira discreta de atacar uma vítima se dá as vezes de uma maneira quase imperceptível. Vai chegando devagar, abrindo as defesas pessoais e penetrando. Começa com uma leve tristeza, sem causa, uma, pensamentos deprimentes, mas para não ser percebido, se afasta e volta em outra oportunidade. Quando ficar azedo sem motivo aparente, cuidado, pode ser uma influência sutil momentânea.

6 – Mediunidade Perturbada: Quase todas as mediunidades não são fáceis no princípio., geralmente o canal mediúnico é aberto e experimentado por espíritos malfeitores, perturbados. A mediunidade é preciso ser disciplinada, pois um médium possui o poder atrativo magnético sofre os espíritos sofredores, MEDIUNIDADE INICIANTE e OBSESSÃO andam de mãos dadas. Existem casos em que o médium é iludido pelo espírito obsessor que se diz seu GUIA ESPIRITUAL, o que pode atrasar o seu desenvolvimento.

7 – Imantação por cumplicidade ou conivência: - Erros e crimes cometidos em conjunto, unem espíritos na cadeia do mal, (causa e efeito). Quando um dos membros da quadrilha desencarnada encarna num corpo físico, os seus amigos de sintonia, o perseguem para levá-lo de volta ao caminho do mal. Não querem perder o amigo, querem que ele seja tão infeliz como eles. Paixões intensas, fazem o mesmo efeito, se um volta a carne, as promessas esquecidas, o que ficou persegue e tenta prejudicar o encarnado.

 

8 – Vingança: - Fazer justiça com as próprias mãos. Uma das piores obsessões. Aquele que foi morto, mesmo que seja uma presa sem reação quando vivo, após morto, se não tiver uma boa índole para o perdão, vai procurar de todas as formas se vingar, muitos casos atravessa-se vidas nessa perseguição implacável, casos de uma obsessão encarniçada, fazendo o carrasco sofrer duros golpes energéticos, terríveis depressões e tristezas sem fim. Levando-o ao vício e a desgraça.

9 – Obsessão entre Encarnados: – os laços de sintonia vibracional de dependências agudas, não se dão somente entre os mortos, mas por desequilíbrios emocionais pode-se observar a obsessão entre os vivos. Mães super solícitas, amante, esposa, noiva, que sofre de necessidades neuróticas que criam laços de dependências afetivas.

10 – Obsessão Coletiva: – Já houve casos de suicídios coletivos, solicitado por um líder obsediado. No caso existe um padrão energético chamado: Sintonia vibracional continuada, que funciona como uma embriaguês continuada delirante, que vai se formando no ar pegando a todos, raros são os que não se embriagam pelas fascinantes promessas do obsessor. No passado mães ofereciam filhos para os sacrifícios, em nome de um Deus faminto.

09.4.8 – Larvas Astrais:


Os desencarnados desequilibrados extraem forças dos encarnados, revitalizando seus espíritos com as energias extraídas, esse é o típico VAMPIRISMO.
Nota-se que corpúsculos magnéticos são deixados neste processo, esses corpúsculos são na realidade LARVAS astrais que pululam nos órgãos afetados e perturbados do obsediado, esses parasitas, baixam o nível vibratória da pessoa afetada, não deixando a energia circular, são chamados de bloqueios energéticos.

Clique aqui para saber mais sobre Obsessões

Técnica Desobsessiva

 

09.5 - FORMAS PENSAMENTOS, LARVAS E OVÓIDES:

Por: Maísa Intelisano – Revista Espiritismo & Ciência –nº 42

Larvas astrais, vibriões psíquicos e aparelhos astrais são, todos formas-pensamento. Já os Ovóides não são formas-pensamento, mas consciências que tomaram a forma oval.

09.5.1 - Formas-Pensamento:

São criações mentais modeladas em matéria fluídica ou matéria astral. Podem ser criadas por encarnados ou desencarnados com características boas ou ruins, positivas ou negativas.

São resultado da ação da mente, sobre as energias mais sutis que estão a nossa volta. As energias que nos rodeiam são altamente plásticas e sensíveis a ação das ondas mentais.

Quando pensamos, as vibrações dos pensamentos atuam sobre as energias condensando ou dispersando-as, dando-lhes formas, cores, brilhos que correspondem a natureza do que pensamos.
Se um pensamento é passageiro muitas vezes nem chega a criar nada, ou se cria, a forma se esvai por falta de alimentação energética.

Mas se o pensamento é repetitivo, uma forma pensamento é alimentada, ficando cada vez mais forte. Se ela for positiva, sadia, elevada ela só se alimentará de pensamentos da mesma vibração positiva do seu criador ao mesmo tempo que alimentará os fluídos agregados, por sintonia de outras mentes e formas pensamentos do mesmo teor.

Leia mais sobre FORMAS-PENSAMENTO.

No entanto se for uma forma-pensamento negativa, densa, doentia, ela também se alimentará dos pensamentos do seu criador e por sintonias agregadas de outras mentes doentias.

O importante observar que as formas-pensamento podem ser “incorporadas” por médiuns, como se fossem espíritos. A diferença é que, como não são consciências , não tem mente, ou seja, não são individualidades, não são capazes de se comunicar de forma lógica, mas podem ser acopladas aos médiuns, à sua aura e ao seu perispírito para drenagem de energias.

No caso dessa incorporação ser voluntária visa retirar essa forma de um encarnado ou desencarnado, para desintegração da forma.

No caso dos grupos de desobsessão que não há diálogo, mas se nota um enfraquecimento gradativo do fenômeno, como se a entidade estivesse literalmente derretendo, desmanchando-se para logo deixar o corpo do médium.

Leituras para entender melhor o assunto:
FORMAS PENSAMENTOS – Editora Pensamento – Anie Besant e C.W Leadbeater.

 

09.5.2 - Larvas Astrais e Vibriões Psíquicos:

Vibrião é a designação comum às bactérias móveis em forma de bastonetes.

Larva vem do latim larvae e significa máscara, boneco, demônio, espectro que se apodera das pessoas. Os antigos romanos chamavam as aparições de pessoas mortas que tiveram morte violenta.

Já em Zoologia, representa o estágio imaturo, pós-embrionário de um animal, quando este difere sensivelmente do adulto, como os insetos por exemplo, pois neste estágio o animal estaria “mascarado”, disfarçado .

No caso, as Larvas e vibriões astrais são semelhantes aos físicos, criados por vícios mentais e emocionais da consciência. Atitudes, pensamentos e pensamentos desequilibrados, são geradores.


ANDRÉ LUIZ, no capítulo 3, Livro Missionários da Luz, ao examinar mais de perto alguns candidatos ao desenvolvimento mediúnico:
“Fiquei estupefato. As glândulas geradoras emitiam fraquíssimas luminosidade, que parecia abafada por aluviões de corpúsculos negros. Começavam a movimentação sobre a bexiga vibravam ao longo do cordão espermático, formando colônias compactas nas vesículas seminais, na próstata, nas massas moncosas uretrais invadiam os canais seminíferos e lutavam com as células sexuais, aniquilando-as.
Estava assombrado .... Seriam expressões mal conhecidas da SÍFILIS?

O INSTRUTOR ALEXANDRE RESPONDE :
Não ANDRÈ. Mas, não temos sob os olhos o espiroqueta de Schaudinn, nem qualquer nova forma suscetível de análise material por bacteriologistas humanos.

O observado, com experiências sexuais variadas, também contatos com entidades grosseiras, que o visitam com freqüência, à maneira de imperceptíveis vampiros.

Obs: As espiroquetas são bactérias em forma de saca-rolhas que tendem a se mover com um movimento ondulante semelhante ao de uma hélice. As principais cepas (espécies) das espiroquetas incluem o Treponema, a Borrelia, a Leptospira e o Spirillum.


Observando outro candidato habituado a ingerir alcóol em excesso, André Luiz nos dá a seguinte descrição:
Espantava-me o fígado enorme. Pequeninas figuras horripilantes, postavam-se vorazes ao longa da veia aorta, lutando com elementos sangüíneos mais novos, toda a estrutura do órgão se mantinha alterada.

Observando uma mulher com distúrbios alimentares. André relata:
Em grande zona do ventre superlotado de alimentação, viam-se muitas parasitas conhecidos, mas além deles, divisava-se corpúsculos semelhantes a lesmas vorazes, que se agrupavam em grandes colônias, desde os músculos e as fibras do estômago até a válvula ileocecal.

Para entender como surgem as Larvas Astrais. Capítulo 4 do Livro Missionários da Luz, Alexandre diz a André Luiz: - Você não ignora que no círculo de enfermidades terrestres, cada espécie de micróbio tem seu ambiente preferido. Acredita você que semelhantes formações microscópicas se circunscrevem a carne transitória?
Não sabe que o macrocosmo está repleto de surpresas em suas formas variadas? André, as doenças psíquicas são muito mais deploráveis. A patogênese da alma está dividida em quadros dolorosos.

A cólera, a intemperança, os desvarios do sexo, as viciações de vários matizes, formam criações inferiores que afetam profundamente a vida íntima. Quase sempre o corpo doente assinala a mente enfermiça. Nas moléstias da alma, como nas enfermidades do corpo físico, antes da afecção existe o ambiente.

As ações produzem efeitos, os sentimentos geram criações, os pensamentos dão origem as formas e conseqüências de infinita expressão.

Como vemos, as larvas astrais surgem dos excessos e desequilíbrios físicos, emocionais e espirituais de toda sorte, da repetição contínua de uma mesma conduta, física, e/ou mental, o que causa o acúmulo de energias mais densas em determinadas regiões do organismo, onde se organizam as colônias de microrganismos astrais.

A sintonia é a alma do universo, e tudo funciona segundo suas leis. Somos uma usina geradora e viveremos com aquilo que criarmos ou atrairmos a partir sempre do criamos principalmente dentro de nós.

 

09.5.3 - OVÓIDES :

Parasitas ovóides são, como diz o Dr. Ricardo Di Bernardi, “espíritos humanos que, pela manutenção de uma idéia fixa e doentia (monodeismo), acabam estabelecendo uma vibração de baixa freqüência e comprimento de onda longo que com o passar do tempo, produz uma deformação progressiva no seu corpo espiritual.

Ovóides são, portanto espíritos em estado tão profundo de perturbação que perderam a consciência de sua natureza humana de seu perispírito.

 

Portanto não perdem o seu perispírito (psicossoma), ele fica tão deformado que perde a sua forma humana, apenas uma forma ovalada.

0
Di Bernardi, afirma que se trata de um monodeismo auto-hipnotizante. Ele vibra de forma contínua e constante, gerando uma energia que gira sempre de maneira igual e repetida pelo mesmo pensamento desequilibrada.

Ao vibrar repetidamente na mesma freqüência e em desequilíbrio com a Lei cósmica Universal, gera este circuito arredondado que vai deformando e tornando-se ovóide.

Na prática são espíritos que entram em pensamentos, sentimentos repetitivos e negativos, excesso de apego, remorso, vingança, faz com que perca a noção do tempo e espaço e vai aos poucos se atrofiando, por falta de função nos órgãos do psicossoma, assumindo a forma de sua própria onda mental, um círculo vicioso em que vive mentalmente.

 

QUANDO A PESSOA ESTÁ NO ESTADO VEGETATIVO encarnada, no físico, não tem mais capacidade de manifestar com ele, não perde o seu perispirito, porque existe atividade no duplo etérico que mantém as formas humanas no perispírito (psicossoma).

As moléculas do perispírito são moldáveis pelo sentimento, tomam forma de acordo com a vibração do espírito. Assim se tornam brilhantes, opacas, densas ou leves.

Quando um OVÓIDE se liga a uma consciência encarnada ou desencarnada, fica caracterizada o processo obsessivo por parasita ovóide.

Existe um envolvimento de adesão, colado ao corpo físico, no qual, distorce os pensamentos, opiniões e atitudes do encarnado.

O ovóide é incapaz de manipular energias, locomover-se ou interagir conscientemente de livre e espontânea vontade, mas pode fazê-lo no automático, atraído por sintonia, mesmo em estado precário.
O OVÓIDE PODE CHEGAR A AURA de uma pessoa somente por atração que essa pessoa exerce sobre ele. Nada mais é necessário como ponte. Basta a sintonia entre os dois. Basta a sintonia entre os dois. Como ímãs.

Um processo obsessivo é mútuo por força de sintonia, existe um consentimento, mesmo que inconsciente para o acoplamento obsesssivo. Originado é claro pelos pensamentos, tais como: ódio, raiva, egoísmo, apego excessivo a coisas ou pessoas, etc.
Os ovóides podem ser hipnotizados por outras consciências, no caso aqueles que manipulam a hipnose podem perfeitamente prejudicar uma pessoa mantendo um ovóide parasitária numa aura de uma pessoa afim de prejudicá-la.

Não confundir um OVÓIDE, com o CORPO MENTAL sem o perispírito (psicossoma). Um espírito sem o psicossoma é um espírito oriundo do plano mental, superior ao plano astral, geralmente são espíritos de luz que se manifestam em qualquer plano.

As citações de Di Bernardi podem ser encontradas no site:

http://www.ajornada.hpg.ig.com.br/

Livros de André Luiz:

Nossa Lar – Capitulo 31.
Evolução em Dois Mundos – Capitulo 14.

Assunto relacionado (clique):

ATAQUES EXTRAFÍSICOS 01

e

ATAQUES EXTRAFÍSICOS 02

Indice

 

 

 

Página Principal