Indice - compilado por Beraldo Figueiredo

Página Principal

117.8 - LOGOSOFIA

 

Síntese:

A Logosofia é a ciência que explora o homem por inteiro, aproveitando ao máximo todo seu potencial psicológico, mental e espiritual. O autor da Logosofia é Carlos Bernardo González Pecotche, também conhecido como "Raumsol". Ele nasceu em Buenos Aires, Argentina, em 11 de agosto de 1901. González criou e desenvolveu a Logosofia, partindo de sua concepção da vida humana, de Deus, do Universo e suas leis.

 

Explanação:

A Logosofia é uma doutrina ético-filosófica desenvolvida pelo pensador e humanista argentino Carlos Bernardo González Pecotche, que oferece ferramentas de ordem conceitual e prática para obter o auto aperfeiçoamento, por meio de um processo de evolução consciente que conduz ao conhecimento de si mesmo.


A Logosofia estabelece que os pensamentos são autônomos e independentes da vontade individual, e que nascem e cumprem suas funções sob a influência de estados psíquicos ou morais, próprios ou de outrem. Tem como finalidade libertar as faculdades mentais das influências sugestivas, para que o indivíduo, pensando melhor, compreenda os verdadeiros objetivos da vida.


A Logosofia apresenta-se como uma ciência nova e concludente, por dar a conhecer um método e um conjunto próprio de disciplinas que objetivam levar o homem ao conhecimento de si mesmo, dos semelhantes, de Deus, do universo e de suas leis eternas, e ainda como uma nova forma de sentir e conceber a vida, por apresentar uma nova concepção do homem, de sua organização psíquica e mental e da vida humana em suas mais amplas possibilidades e projeções.


Seu nome reúne numa só palavra os elementos gregos “logos” e “sofia”, que o autor adotou, dando-lhes a significação de verbo criador ou manifestação do saber supremo, e ciência original ou sabedoria, respectivamente, para designar uma nova linha de conhecimentos, uma doutrina, um método e uma técnica que lhe são eminentemente próprios.
A Logosofia surgiu em 1930, com a criação da primeira sede da Fundação Logosófica na cidade de Córdova, Argentina

O autor
Carlos Bernardo González Pecotche, argentino, também conhecido por Raumsol, nasceu em 11 de agosto de 1901 e viveu até 4 de abril de 1963. Filho de Jorge N. González e Maria Pecotche de González, casou-se com Paulina Eugenia Puntel em 8 de outubro de 1924 e teve um filho, Carlos Federico González Puntel, nascido em 10 de julho de 1925.


O método

O método logosófico, segundo seu autor postula, é único em sua essência e possui a qualidade de adaptar-se a cada mente, proporcionando-lhe a parte de conhecimento que a capacidade individual pode abarcar.
O exame das aptidões e das condições de assimilação são fatores que este tem em conta. Sua artéria principal, a que faz palpitar o ensinamento na alma do que aprende, é a que prescreve, como principal função do conhecimento que prodigaliza, a necessidade de uma familiarização íntima com o ensinamento até identificar-se com ele por associação do mesmo à vida.
O método logosófico propõe-se a guiar o ser humano ao conhecimento mais profundo de sua mente, na totalidade de seu complexo funcionamento. A Logosofia convida o homem a realizar um estudo pleno de sua psicologia: seu caráter, suas tendências, seus pensamentos, suas qualidades, suas deficiências e tudo quanto direta ou indiretamente entre no jogo de suas faculdades mentais e tenha o que ver com os estados de seu espírito.


Objetivos
Os principais objetivos dos conhecimentos logosóficos são:
A evolução consciente do ser humano, mediante a organização de seus sistemas mental, sensível e instintivo.
O conhecimento de si mesmo, que implica o domínio pleno dos elementos que constituem o segredo da existência de cada um.
A integração do espírito, para que o ser humano possa aproveitar os valores que lhe pertencem, originados em sua própria herança.
O conhecimento das leis universais, indispensável para ajustar a vida a seus sábios princípios.
O conhecimento do mundo mental, transcendente ou metafísico, onde têm origem todas as idéias e pensamentos que fecundam a vida humana.
A edificação de uma nova vida e de um destino melhor, superando ao máximo as prerrogativas comuns.
O desenvolvimento e o domínio profundo das funções de estudar, de aprender, de ensinar, de pensar e de realizar, com o que o método logosófico se transubstancia em aptidões individuais de incalculável significado para o porvir pedagógico na educação da humanidade.

Logosofia e Filosofia
O saber logosófico não tem pontos de referência com nenhum ramo do saber comum, seja ciência, filosofia, psicologia, etc., ou seja, suas concepções são originais e não foram baseadas em nenhuma outra corrente de pensamento existente, conforme expressado por seu próprio autor.
Sobre a diferença entre a Logosofia e a Filosofia, González Pecotche explica o seguinte :
“A Logosofia conta com duas forças poderosas que, ao unir-se e irmanar-se, levam o homem a cumprir os dois fins de sua existência: evoluir para a perfeição e constituir-se em um verdadeiro servidor da humanidade. Uma dessas forças é o conhecimento que brinda à mente humana; a outra, o afeto que ensina a realizar nos corações. A ciência corrente carece desse afeto, dessa força; é fria e rígida e, às vezes, especulativa e intemperante, como no caso da Filosofia; ao contrário, a Logosofia é conciliadora. Eis aí a grande diferença e o que explica porque é capaz de realizar prodígios na alma humana, que até parecem inconcebíveis àqueles que permanecem alheios a tais possibilidades.”[8]


Logosofia como Humanismo
González Pecotche também menciona que a Logosofia é um novo tipo de Humanismo. No entanto, ele diferencia a sua contribuição em relação aos trabalhos de outros humanistas:
“Diferentemente, pois, do conceito generalizado, nosso humanismo parte do próprio ser sensível e pensante, que busca consumar dentro de si o processo evolutivo que toda a humanidade deve seguir. Sua realização nesse sentido haverá, depois, de fazer dele um exemplo real daquilo que cada integrante da grande família humana pode alcançar.”[9]

Instituições Logosóficas
As instituições logosóficas são entidades sem fins lucrativos que têm o objetivo de serem centros difusores da Logosofia, além de brindar o ambiente necessário para o estudo e prática da mesma.
Atualmente, existem instituições logosóficas nos seguintes países:

Argentina
Brasil
Espanha
Estados Unidos
Israel
México
Venezuela
Uruguai
Por sua vez, existem estudantes residentes e núcleos de estudo em formação em diversos países, tais como: Alemanha, Austrália, Canadá, França, Itália, Reino Unido e outros.

Bibliografia:
A bibliografia logosófica é publicada em diversos idiomas pela Editora Logosófica, sediada no Brasil, e pela Editorial Logosófica, sediada na Argentina. Suas principais obras são:
A Herança de Si Mesmo - 1957
Bases para Sua Conduta - 1965
Curso de Iniciação logosófica - 1963
Deficiências e Propensões do Ser Humano - 1962
Diálogos - 1952
Exegese Logosófica - 1956
Intermédio Logosófico - 1950
Introdução ao Conhecimento Logosófico - 1951
Logosofia, Ciência e Método - 1957
O Espírito - 1968
O Mecanismo da Vida Consciente - 1956
O Senhor De Sándara - 1959
(Nota: os anos indicados se referem à primeira edição.)
 

Fonte: Wikipedia

 

 
   

Indice - compilado por Beraldo Figueiredo

Página Principal