Indice                                                                                     compilado por Beraldo Figueiredo                                                                                      PÁGINA PRINCIPAL

108.2.7  - MORMONISMO (Mórmons)

IGREJA MÓRMON

A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias (Igreja mórmon) foi organizada em 1830 pelo Profeta Joseph Smith. A Igreja reivindica ser a Igreja Restaurada do Salvador, mais uma vez estabelecida na terra, depois de vários séculos de apostasia.

 

História

Na primavera de 1820, o jovem Joseph Smith Jr. clama ter recebido uma visão na qual Deus e Jesus Cristo lhe ordenaram que não se filiasse a nenhuma das igrejas existentes, pois todas estavam erradas, mais tarde o instruíram a que restaurasse a verdadeira igreja de Jesus Cristo. Esta narrativa é conhecida como a Primeira Visão.

 

 

Em um segundo momento (depois da Primeira Visão), sempre segundo relato de Smith,um ser ressureto chamado morôni apareceu para Joseph na forma de um anjo e lhe entregou uma coletanea de placas de metal com caracteres até então desconhecidos. Joseph teria traduzido-as para o inglês, dando origem ao Livro de Mórmon, que juntamente com a Bíblia, Doutrina e Convênios e Pérola de Grande Valor constitui a base de fé da dos santos. O termo mórmon, geralmente usado para referir-se a estes, deriva do nome do profeta Mórmon, que foi um dos autores e compiladores das escrituras que formaram o livro com seu nome.

 

Joseph Smith Jr, demorou 10 anos para publicar seus escritos, que deram origem ao Livro de Mórmon, impresso que, ao lado da Bíblia, orienta a religião até hoje.

 

Com a publicação do Livro de Mórmon, Smith tornou-se o primeiro Élder da Igreja por ele iniciada e denominada A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, isso porque cuidava ser a mesma igreja que Jesus criara quando estava na terra, só que agora Restaurada por um novo profeta chamado e ordenado por Deus, ou seja, Joseph Smith. A mensagem de que o Livro de Mórmon seria um complemento do Novo Testamento conquistou não apenas seguidores como também inimigos políticos e religiosos, pois no inicio do mormonismo, os dirigentes da Igreja se desentendiam com o governo americano e com a ética protestante, dominante no país no Século XIX.

 

Os mórmons se afirmavam como os donos da verdadeira palavra de Jesus Cristo e isso alfinetava o protestantismo', diz John Gordon Melton, professor de estudos religiosos da cultura americana da Universidade de Indiana.

 

 

O Anjo Morôni

Morôni foi um profeta que escreveu no Livro de Mórmon da Igreja Mórmon. Ele era filho de Mórmon, o profeta cujo nome foi dado ao Livro de Mórmon. A vida de Morôni cobre a última parte do século quatro e a primeira parte do século cinco.

 

Morôni foi o último dos Nefitas, um povo o qual a história é a base do Livro de Mórmon. Ele foi um comandante dos exércitos Nefitas sob a direção do seu pai, e guiou um grupo de 10.000 homens na guerra final entre Nefitas e seus inimigos, os Lamanitas. Os Nefitas foram destruídos e Morôni foi forçado a se esconder e viajar constantemente para evitar ser capturado e morto.

 

O pai de Morôni o havia incumbido do trabalho de completar os registros Nefitas. Morôni escreveu os capítulos oito e nove do Livro de Mórmon, o livro de Morôni, a página titulo, e também resumiu os registros dos Jareditas no que é conhecido hoje como o livro de Éter.

 

Morôni sabia que o registro que ele estava guardando ajudaria muitas pessoas no futuro a encontrar a verdade do evangelho. Após completar os registros, o que parece que aconteceu por volta de trinta e seis anos depois da batalha final entre os Nefitas e Lamanitas, Morôni os enterrou em uma caixa de pedra em um morro conhecido hoje como Monte Cumora.

 

Morôni também teve um papel vital na restauração do evangelho de Cristo. Ele apareceu a Joseph Smith como um mensageiro celestial, e o informou a respeito do Livro de Mórmon. Ele apareceu para Joseph Smith mais de vinte vezes em seis anos.

 

Morôni é retratado como uma estátua na ponta das torres da maioria dos templos Mórmons porque se acredita que ele seja o anjo do qual é falado em Apocalipse 14:6: “E vi outro ano voar pelo meio do céu, e tinha o evangelho eterno, para o proclamar aos que habitam sobre terra, e a toda a nação, e tribo e língua, e povo”.

 

 

 

Jesus no mormonismo

Messias-“A divindade de Jesus Cristo é indicada pelos nomes e títulos específicos, autorizadamente aplicados a Ele. De acordo com o julgamento do homem, pode haver pouca importância ligada aos nomes; mas, na nomenclatura dos Deuses, todo nome é um título de poder ou posição. Deus é justamente zeloso da santidade de Seu próprio nome.

 

Trindade -A primeira Regra de Fé na Igreja Mórmon diz que “Cremos em Deus, o Pai Eterno, e em Seu Filho, Jesus Cristo, e no Espírito Santo”. O Pai Celestial, Jesus Cristo e o Espírito Santo são referidos como a Trindade. Eles dirigem esse mundo e todas as outras criações do Pai Celestial. A crença Mórmon é que eles são três seres separados e com papéis distintos, mas que são um em propósito e doutrina.

 

Jesus o Cristo-Jesus era um nome relativamente comum entre o povo Judeu. O nome significa “Deus é ajuda”. Cristo em grego significa “o Ungido”. Na língua Hebréia que dizer “o Messias”. Quando Jesus veio a terra foi profetizado que Ele era o Messias dos Judeus, e Jesus veio para ser chamado de Jesus o Messias ou Jesus o Cristo.

 

A Crucificação de Jesus Cristo- Membros de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias (casualmente chamada de Igreja Mórmon) acredita fielmente que Jesus Cristo viveu e que continua a viver. Eles também acreditam na Expiação, Crucificação e Ressurreição de Cristo que fez possível ao homem se arrepender de seus pecados e também ressuscitar.

 

Sinais da Segunda Vinda- Os membros de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias (também conhecida como Igreja Mórmon) têm aguardado pela Segunda Vida de Cristo. Os líderes encorajam os membros a saber os sinais de Sua vinda e estar atentos a eles.

 

A Vida de Cristo - A seguir está uma breve cronologia dos maiores eventos da vida de Jesus Cristo. Essa cronologia foi feita baseada nas informações encontrada na versão do King James da Bíblia, como impresso pela Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias (Igreja Mórmon).

 

O Sacramento ou Eucaristia - “Para os Santos dos Últimos Dias, a palavra sacramento refere-se à ordenança de tomar o pão e a água em memória do sacrifício expiatório de Cristo. O pão partido representa seu corpo quebrantado; a água representa o sangue que derramou para expiar nossos pecados (1 Coríntios 11:23-25; D&C 27:2).

 

Adoção

A doutrina Mórmon ensina que a família é o centro da vida e que filhos e pais estão ligados na vida para ensinar e ajudar uns aos outros durante o tempo em que estivemos nessa vida mortal. As famílias são tão importantes tanto na doutrina quanto na cultura Mórmon.

 

Com relação ao assunto de gravidez inesperada, os lideres da Igreja tem enfatizado a importância de viver uma vida casta e virtuosa e a importância de não ter relações sexuais fora dos laços do casamento. Quando mães solteiras estão sem desejo ou impossibilitadas de se casar, a Igreja encoraja que a criança seja colocada para adoção, mantendo em mente o que é melhor para a criança, para que ela assim possa crescer dentro de uma família com laços estruturados e fortes.

 

 

Alas Mórmons

Uma ala é uma determinada congregação Mórmon. Tipicamente, as alas são formadas por cerca de 100 a 200 membros que vivem dentro de uma área específica. As alas são determinadas pelas áreas onde seus membros moram e os membros são encorajados a freqüentarem a ala ao qual eles são designados.

 

Todas as alas são designadas para trabalhar da mesma maneira, embora as alas de membros solteiros sejam estabelecidas de uma maneira um pouco diferente para facilitar a situação de seus membros. Uma ala é presidida por um bispo e seus dois conselheiros. O bispado é então responsável por organizar a ala e designar as presidências das organizações dentro da ala, como por exemplo, a Sociedade de Socorro, Rapazes, Primária, Escola Dominical, etc.

 

BATISMO

Os Mórmons acreditam que o batismo é a primeira ordenança de salvação do evangelho. Através do batismo e da confirmação pela autoridade do sacerdócio, você pode se tornar um membro de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias.

 

Acredita-se que o batismo serve para quatro propósitos: Um, é para a remissão dos pecados; Dois, admite-se a pessoa arrependida como membro da Igreja e do Reino de Deus na Terra; Três, é o portão de entrada para o reino celestial dos céus, ou seja, é o começo de uma caminhada de uma pessoa pelo caminho estreito e apertado que leva à vida eterna; e Quatro, é o meio pelo qual as portas da santificação pessoal são abertas.

 

Jesus Cristo deixou o exemplo para todos seguir, quando Ele foi batizado. Ele não precisava ser batizado porque Ele era perfeito, mais ainda assim Ele se batizou para deixar-nos o exemplo. Todos que desejam ter uma vida eterna (morar com Deus) precisam seguir esse exemplo e assim começar a andar pelos caminhos de retidão.

 

Bíblia Mórmon

 

Bíblia Mórmon e Escrituras Mórmons

 

Muitas pessoas se referem ao Livro de Mórmon como a Bíblia Mórmon. Talvez isso seja mais fácil de lembrar, porém, os Mórmons acreditam na Bíblia tradicional e no Livro de Mórmon. Os Mórmons tem 13 Regras de Fé, que é exatamente como eles os chamam, “Regras de Fé” (são treze declarações que resume brevemente algumas dos princípios e crenças básicas de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias).

 

Podemos ler o seguinte na Regra de Fé número 8: “Cremos ser a Bíblia a palavra de Deus, desde que esteja traduzida corretamente; também cremos ser o Livro de Mórmon a palavra de Deus”.

 

Não existe nenhum período em que os Mórmons não acreditaram na Bíblia. Eles realmente acreditam que o Livro de Mórmon é um Outro Testamente de Jesus Cristo e pediriam a qualquer pessoa que seja para ler o livro e orar sobre ele, como um complemento da Bíblia Sagrada.

 

Tão logo o Livro de Mórmon saiu da gráfica em 1830, pessoas descrentes começaram a referir a ele como Bíblia Mórmon, uma prática que ainda continua acontecendo em vários lugares. Geralmente o propósito e o intuito dessas pessoas de assim chamarem o Livro de Mórmon é para depreciar o anúncio de que ele é de fato uma escritura dos últimos dias, e também para dar uma falsa noção que os Santos dos Últimos Dias (membros da Igreja Mórmon) acreditam que esse volume de escrituras americanas veio para substituir a Bíblia tradicional Cristã (Doutrinas Mórmon, por Bruce R. McConkie, 1966 p. 512).

 

O Livro de Mórmon é uma escritura sagrada, a qual presta testemunho de Cristo e ensina as doutrinas do Seu evangelho. Ele nunca veio para substituir a Bíblia Sagrada e esse também nunca será o seu intento.

 

As escrituras oficiais que são usadas pelos membros da Igreja Mórmon são geralmente chamadas de Obras Padrão. Esses livros são a Bíblia Sagrada, o Livro de Mórmon, Doutrina e Convênios, e a Pérola de Grande Valor.

 

O principal propósito dessas escrituras é testificar de Cristo, ajudando-nos a vir a Ele e a receber a Vida Eterna (ver João 5:39).

 

Os Mórmons acreditam que o Livro de Mórmon foi nos dado nos dias de hoje pela vontade de Deus. É um registro dos procedimentos de Deus com o povo que viveu antigamente no continente Americano. Profetas do Senhor registraram os escritos originais em placas de ouro. Deus declarou que o Livro de Mórmon contém “a plenitude do evangelho de Jesus Cristo” (D&C 20:9; 42:12).

 

No dia 22 de setembro de 1827, o anjo Morôni entregou esses registros para o Profeta Joseph Smith. Pelo dom e poder de Deus, o Profeta traduziu esses registros para o inglês.

 

O propósito principal do Livro de Mórmon é testificar à todas as pessoas “que Jesus Cristo, o Deus Eterno, [...] se manifesta a todas as nações” (Página título do Livro de Mórmon).

 

O Profeta Joseph Smith disse que o Livro de Mórmon é “[...] a pedra fundamental de nossa religião; e que seguindo seus preceitos o homem se aproximaria mais de Deus do que seguindo os de qualquer outro livro” (Introdução do Livro de Mórmon).

 

O Livro de Mórmon é uma outra testemunha das verdades que são ensinadas na Bíblia. Ela também “restaura verdades plenas de preciosas” que foram perdidas da Bíblia através de erros de traduções (1 Néfi 13:24-27, 38-41).

 

O livro de Doutrina e Convênios e a Pérola de Grande Valor são livros publicados no mesmo volume do Livro de Mórmon, formando assim a tríplice. O livro de Doutrina e Convênios contém revelações dadas ao Profeta Joseph Smith.

 

Esse livro é único porque não é uma tradução de registros antigos, mas é uma coleção de revelações dadas pelo Senhor para Seus profetas nestes últimos dias.

 

A Pérola de Grande Valor contém o livro de Moisés, o livro de Abraão, a tradução inspirada de Joseph Smith do capítulo 24 de Mateus, e alguns escritos do Profeta Joseph.

 

Satanás, Lúcifer, ou o Diabo

 

Na doutrina Mórmon, Satanás, também conhecido como Lúcifer, é um espírito filho de Deus. Ele estava conosco na vida pré-mortal e tinha grande influencia sobre aqueles que viviam ao seu redor.

 

Mas ele caiu. Como Isaías 14:12 cita, ele propôs um plano que tiraria o arbítrio dos homens, o qual é um principio eterno, muito valioso para Deus. Ele desejou glória e poder. Para conseguir isso, ele queria forçar todas as pessoas a guardar os mandamentos de Deus. Seu meio era usar a compulsão ou a força para “salvar” cada pessoa, e, para fazer isso, ele exigiu a glória e honra de Deus. Ao contrário da posição de Lúcifer, o plano do Senhor permitia que os indivíduos crescessem, através da oportunidade de escolher entre o bem e o mal.

 

Quando o plano de Satanás foi rejeitado, ele ficou furioso e abriu uma rebelião contra Deus. Seus argumentos eram tão convincentes que um terço de todos os filhos espirituais do Pai Celestial seguiram Lúcifer (ver D&C 29:36, Moisés 4:1-4, e Abraão 3:27-28). Lúcifer e seus seguidores foram expulsos dos céus e foi lhes negado o direto de receber um corpo físico. Eles estão espiritualmente mortos, significando que eles estão eternamente expulsos da presença de Deus. Agora Satanás e seus seguidores trabalham para atrapalhar o Plano do Pai Celestial e para guiar os Seus filhos ao pecado e às suas próprias mortes espirituais (ver Apocalipse 12:9, e 2 Néfi 2:27; 9:8-9).

 

 

Sacerdócio

Os mórmons-sud, possuem um sistema de autoridade e organização interna denominada "Sacerdócio". Este é limitado apenas aos homens e é explicado dentro da doutrina como "o poder e a autoridade divina dados aos homens santos dos últimos dias para agirem em nome de Deus na terra". É por meio desse Sacerdócio que os sud administram as cerimônias espirituais da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. Ainda segundo a doutrina oficial dos mórmons-sud, o primeiro homem a receber o sacerdócio foi Adão, sacerdócio este transmitido de geração em geração até aos dias de jesus, que o transmitiu aos apóstolos e estes, já nestes últimos dias e como seres ressurretos, á Joseph Smith, o primeiro profeta-vidente-revelador da igreja. Desse modo, A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias reivindica autoridade divina para selar atos divinos com válidade tanto na terra como nos céus.

 

Tal Sacerdócio, está dividido em duas diferentes e hierárquicas classes denominadas:

 

1.Sacerdócio Aarônico, ou Sacerdócio Levítico: também chamado Sacerdócio Menor, ou preparatório, administra os atos temporais da Igreja e prepara o portador para ser ordenado (receber) ao Sacerdócio de Melquisedeque;

 

2.Sacerdócio de Melquisedeque: chamado Sacerdócio Maior, administra as coisas espirituais e também preside a Igreja.

Como já citado anteriormente, apenas os homens dignos podem ser ordenados nas ordens desses dois Sacerdócios, ficando a mulher como adjutora e compartilhando as muitas bênçãos espirituais que advém do Sacerdócio.

 

Até 1978, os homens de raça negra não eram ordenados ao Sacerdócio. A explicação sobre isso é que os homens da raça negra eram descentes co-sanguíneos de Caim, filho de Adão e Eva, o qual matou Abel e o Senhor impos-lhe uma marca - no caso, a pele da cor negra.Sendo seus descendentes rejeitados (até segunda ordem)quanto ao sacerdócio.Tal, aparente discriminação, trás críticas á igreja até hoje. A liberação do Sacerdócio à etnia negra e outras etnias deu-se por intermédio do Presidente e Profeta Spencer W. Kimball.

 

Hoje em dia, todos os homens, considerados dignos, podem receber os dois sacerdócios, independente de sua etnia.

 

 

Críticas

Assim como acontece a outros grupos e denominações religiosas, muitas críticas somam-se aos Santos dos Últimos Dias.

 

Algumas delas, sobre o Livro de Mórmon. Afirmam, por exemplo: Que os arqueólogos e cientistas não encontraram nenhum vestígio das civilizações citadas neste livro; Quanto a cidade de Zaraenla, o livro não dá detalhes onde essa cidade se localizaria em qualquer lugar das Américas; Há ainda a transcrição literal de textos bíblicos assim como a repetição da oração do "Pai Nosso" por Jesus nas américas, embora os mórmons-sud ensinem que a oração feita por Jesus na Palestina, não deve ser repetida em forma de "reza", por tratar-se de uma oração ocasional feita por Jesus.

 

Normalmente, os mórmons-sud defendem com veemência suas convicções e doutrinas (passadas e presentes). Embora, evitem o ataque direto a outras crenças.
 

Joseph Smith

 

Joseph Smith Jr. Nasceu em Sharon, Vermont, 23 de Dezembro de 1805 e faleceu Carthage, Illinois, 27 de junho de 1844, foi um religioso norte-americano, restaurador do Movimento dos Santos dos Últimos Dias, conhecido pelos não-membros como mormonismo. Smith era conhecido por seus seguidores como profeta, vidente e revelador da parte de Deus.

Seu pai era Joseph Smith Sênior e sua mãe Lucy Mack Smith. Ele era um dos onze membros de sua família.  

 

Nascido em uma família numerosa, Joseph Smith Jr. tinha dez irmãos e irmãs. Convivia com sua família na zona rural de Palmyra (Nova Iorque), quando movimentos evangélicos levaram a um despertar religioso na região, o que o levou a sérias reflexões pessoais. Ele desejava saber qual daquelas igrejas era correta. Um dia, leu uma passagem na Bíblia que dizia: “ Se algum de vós tem falta de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá liberalmente, e o não lança em rosto, e ser-lhe-á dada.” (Tiago 1:5). Joseph decidiu aceitar o convite de perguntar a Deus

 

Segue um rápido esboço de todo o seu ministério na terra: O Profeta Joseph Smith tinha quatorze anos quando ele recebeu a Primeira Visão e dezessete quando recebeu a visita do anjo Morôni. Ele tinha vinte e um anos quando recebeu as placas de ouro e apenas vinte e três quando ele terminou de traduzir o Livro de Mórmon (isso foi feito em menos de sessenta dias).

 

Mas da metade das revelações em Doutrina e Convênios foram recebidas por Joseph Smith quando ele tinha vinte e cinco anos ou menos. Ele tinha vinte e seis anos quando a Primeira Presidência da Igreja Mórmon foi organizada e trinta anos quando o Templo de Kirtland foi dedicado. Ele tinha apenas trinta e três anos quando escapou do seu aprisionamento no Missouri e reassumiu a liderança dos Santos Mórmons que estavam se reunindo em Nauvoo. O Profeta Joseph Smith foi martirizado com a idade de trinta e oito anos.

 

Em 6 de Abril de 1830, Joseph e alguns convertidos restauraram a Igreja de Cristo, que em 1838 mudou seu nome para A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, em Fayette. As denominações evangélicas passam a perseguir Joseph e a igreja, que mudam-se para Nova Iorque. O primeiro templo é estabelecido em Kirtland, Ohio, em 1836. De Ohio a igreja mudou-se para o Missouri, depois para Illinois, onde em 1839 surge a comunidade de Nauvoo.
 

Acusação e Morte:
Devido às acusações e perseguições, Joseph Smith e seus companheiros mais próximos acabaram presos. Em 24 de junho de 1844, Smith e seu irmão Hyrum Smith foram levados para a cadeia de Carthage, onde em 27 de junho de 1844 uma turba invade a cadeia e assassinam Joseph e Hyrum.

Joseph Smith fundou a cidade de Nauvoo (Illinois) e implementou por revelação moderna várias leis, como por exemplo, a lei da consagração, onde os membros da recém Igreja restaurada deveriam dispor de seus bens ao bispo da Igreja e esses bens eram divididos entre os membros por igualdade.
 

 


 

 

 

   

Indice - compilado por Beraldo Figueiredo

Página Principal